quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Toma Herceptin?... Fez teste genético antes?!...

Uma em cinco mulheres que toma Herceptin® pode não ter feito teste genético
(in portal de oncologia)


Um teste genético, utilizado para determinar se os doentes com cancro da mama devem receber o Herceptin® da Roche, não é muitas vezes realizado, segundo um relatório avançado pela agência Bloomberg.


Dois terços das mulheres com cancro da mama invasivo não têm documentação de ter realizado o teste ao gene HER2, de acordo com o relatório publicado no jornal Cancer.
Além disso, é indicado que um em cada cinco testes ao HER2 realizado por laboratórios locais são imprecisos quando comparados com os resultados do mesmo tecido em laboratórios maiores.
As células do tecido mamário saudáveis contêm duas cópias do gene HER2. Cerca de 20% das mulheres com cancro da mama invasivo têm várias cópias do gene. Estes tumores chamam-se HER2 positivo e são tumores mais agressivos e difíceis de tratar. Todos os doentes com cancro da mama invasivo devem realizar este teste genético.


Uma das investigadoras do Memorial Sloan-Kettering Cancer Center e autora do estudo afirma que a revisão sugere que há falhas consistentes em relação ao uso do Herceptin® e o teste ao HER2.

Os autores do estudo ressalvam que o fármaco é altamente eficaz em 20 a 30% dos doentes com sobre expressão do gene HER2. Nestes casos, a toma do fármaco pode reduzir o risco de morte. Mas quem não tem esta característica e toma o medicamento tem “um risco desnecessário de paragem cardíaca”.


Uma em cada cinco mulheres que toma Herceptin® não tinha provas de ter realizado o teste, segundo registos de seguro de saúde.“É possível que tenham realizado um teste com resultado positivo, mas não tenha sido documentado”, afirma a investigadora.
Os autores do estudo recomendam que o teste seja standard, de forma a salvaguardar que é realmente realizado. Também pode ajudar haver mais informação sobre as tecnologias usadas nos testes, acrescentam.


O Herceptin® foi aprovado nos EUA em 1998. A Roche procura actualmente aprovação do fármaco para o cancro do estômago fora dos EUA.
Além deste, existe o Tykerb® da GlaxoSmithKline para tratamento do cancro da mama HER2 positivo, que foi aprovado em 2007 para este uso, e alguns médicos recomendam certas quimioterapias.


...


Acredito que algumas de vós integrem o 1% das cinco mulheres que fazem parte da estatística...
Mais uma vez: perguntar, perguntar e perguntar! O doente tem esse direito e o médico está obrigado á resposta.


Bjos a todas

9 comentários:

Nela disse...

Desde o início se diz que a informação é a arma mais poderosa. Uma doente esclarecida até pode ser mais chata, mas também pode viver muito mais tempo.

E quem passa pelos hospitais sabe que não é por falta de vontade ou de profissionalismo; é por falta de meios, tempo e todo o tipo de recursos.

Perguntem! Perguntem tudo!

Lina Querubim disse...

Como disse no blog da Isa de Beja,
eu não sei se fiz o teste ...sei que sou HER+ e fiz um teste que se chama FISH não sei se foi para saber que tipo de cancro tinha se é este o tal teste. Fiz o Arne antes de iniciar o tratamento soube que estava tudo bem iniciei o Herceptin a meio fiquei hipertensa onde fiz uma eco ao coração estava bem e estou a tomar medicação para isso e agora...ao voltar a fazer o Arne o meu coração envelheceu...mas vai ficar tudo bem :) acredito que sim!
Deus está comigo e sei que não me faltará!
Beijinhos

Isa disse...

um beijinho Nela
Tens toda a razão.
Os médicos estavam um bocado habituados aos paceientes de cancro serem pessoas mais velhas e que raramente queriam saber bem o que tinham, visto muitas das vezes nem cancro conseguirem dizer.Hoje infelizmente aparece mais cedo,E sem duvida que temos que perguntar tudo e estar bastante alertas.

carl@ disse...

Digam-me o vosso e-mail. Gostava de esclarecer algumas coisas convosco. Obrigada!

Rosa, Esperança disse...

O nosso e-mail é:

movrosaesperanca@gmail.com

Bjos

storming disse...

Olá! sou nova por aqui, engraçado as pessoas unirem-se para se apoiarem e ajudarem, FORÇA! eu acabo de passar o marco dos 5 anos!O que tenho a dizer é que ultrapassei tudo muito bem, tratei-me em Faro e só tenho coisas boas a dizer de quem por lá trabalha. O mesmo não poderei dizer da sociedade hipócrita em que vivemos. Há 5 anos que deixei de ter emprego, marido, e a vida que estava habituada a ter. O cancro não me matou, o resto...quase!
A todas um forte abraço, acreditarmos que vamos vencer é meia cura.

sandra disse...

Olá...tomo Herceptin a dois anos,e gostaria de saber por qto tempo mais vou tomar.Minha médica não diz....bjs

Anónimo disse...

Não fiz teste. Fiz herceptin com taxotere. Hoje faço herceptin com novaldex. Queria saber por quanto tempo vou tomar. Sou HER+. Ando sentindo dormeça nos pés e mãos.
A luta é diária. é muito exame. Às vezes dá uma tristeza. Os amigos sumiram. Da família, alguns nem chegam perto. Mas tem meu filho que é a minha força

Anónimo disse...

Senhoras: Os amigos que somem não são amigos, são equívocos e os maridos que desaparecem, não valia a pena conservar.
Quanto aos tratamentos, cada caso é um caso. Informem-se com os vossos médicos.

Cris Vic